sexta-feira, 26 de junho de 2009

O amor e o fim das guerras

.
A metralha ali gargalha...
Serra, serra a motosserra...
E enquanto mata a metralha,
Sua irmã - mas que canalha! -
Lá na mata, a mata serra!

Sucumbe a vida na Terra...
E ao fim de cada batalha,
Parece perdida a guerra:
- Gargalha a motosserra!
- Sorri de nós a metralha!

Mas se o amor se agasalha
Nos corações... se encerra
O destruir que se espalha...
- Fará silêncio a metralha!
- Será muda a motosserra!
...........................................
(Anchieta)

Um comentário:

Isaac Melo disse...

Anchieta,
"Mas se o amor se agasalha
Nos corações... se encerra
O destruir que se espalha..."
estas palavras são imprescindíveis para este mundo dilacerado por tantas formas de violência.
Belo poema!
Um forte abraço com a admiração de sempre.