terça-feira, 4 de agosto de 2009

Coisas que eu disse em 1987 e 1988 no jornal "O Rio Branco"

- Discurso de palanque tem que ser interpretado com dicionário de antônimos.

- O extremista nada mais é do que o sujeito que se encarcerou em si mesmo. Perdeu o direito e a liberdade de pensar livremente.

-Comício é um bando de idiotas escutando mentiras.

- Se o problema dos políticos é o "rabo preso", seria bom amputar esse apêndice antes de entrar na política.

- Marajá é o engraçado que ganha muito para trabalhar pouco; Operário é o desgraçado que ganha pouco para trabalhar muito.

- Muitos políticos, ao receberem o passaporte para o inferno, ainda vão tentar subornar São Pedro.

-  O político safado é como mulher que passa chifre no marido: - morre jurando sua honestidade.

- Algum dia teremos os bons políticos fazendo a regra. Por enquanto eles fazem a exceção.
(Anchieta)

Um comentário:

Isaac Melo disse...

ANCHIETA,
seus aforismos são cheios de verdade!
Um abraço!