segunda-feira, 4 de maio de 2009

Procissão dos desgraçados

(1989)
Crianças abandonadas,
Mendigos pelas esquinas,
Multidões desesperadas,
Prostituídas meninas!

Morando em rua sem nome,
Trajando sujos molambos,
Os párias morrem de fome,
Na miséria dos mocambos...

Procissão dos desgraçados!
Cortejo dos infelizes!
Dizei-me, ó desventurados:
- Quais são as vossas raízes?

Se não supondes suplício
Viverdes de circo e pão,
Então vibrai co´o bulício
Desses tempos de eleição!

Se não vos dói essa dor,
Nem vos sucumbe a agonia,
Então vibrai co´o sabor
Dos frutos da hipocrisia!

Nutri-vos com a promessa!
Aplaudi vossa desgraça!
Correi, correi bem depressa,
Que hoje há comício na praça!

(José de Anchieta Batista - 1989)

Um comentário:

Isaac Melo disse...

Caríssimo Anchieta,
você nos enriquece com sua poesia!
Cada dia me convenço mais que nós precisamos mais de poetas do que qualquer outra espécie de homens. O poeta é um dos únicos a chegar mais próximo dos segredos dos corações humanos. Não só sensibilizam, mas transformam vidas. Estranha força da poesia.
Um abraço fraterno!