domingo, 11 de outubro de 2009

Convicção

Já não me assusta morrer,
Mas me tortura o tão pouco que fiz
Numa vida que muito me fez...

Já não me assusta morrer,
Porque sei que a morte não existe,
A não ser como estação da vida.

Já não me assusta morrer...
Sou convicto da vida além da morte
E vejo a morte sublimando a vida.

(Anchieta)

2 comentários:

MANU AO PÉ DA LETRA disse...

Por acaso fui abandonada?

Isaac Melo disse...

Saudações caro poeta Anchieta,

o blog está cada dia melhor. Será que vamos encontrar algumas dessas poesias em seu livro?

Um forte abraço!