sábado, 26 de setembro de 2009

À menina Marina Silva











Lá vem a menina,
franzina, morena,
selvagem, serena,
Sem medo de nada...
- da onça pintada,
- do mapinguari,-

- dos grandes mistérios
das coisas daqui.

Lá vem a menina
com seus desafios...
nascida no ventre
das terras do norte...
com alma gigante,
guerreira e pacata,
nos traz lá da mata
a seiva mais forte...

Lá vem a menina,
nas curvas do rio,
num barco de sonhos,
audaz, destemida,
remando nas águas
que a vida lhe trouxe,
com seu jeito doce
de ser atrevida.

.............................
(José de Anchieta Batista)

2 comentários:

Isaac Melo disse...

Anchieta,
nossa esperança está nessa 'menina'.
Belo poema.

Abraços!

Lu disse...

Uau! gostei do poema!
Tb tenho um poema que fiz para essa menina MaRiNa, em breve publicarei no meu blog

Un Abraço!