segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Por quê?

Invejo a sorte de alguns,
Mas doutros eu nada invejo...
No mundo há flores do campo
E há tiriricas do brejo.

Pra uns a sorte é bem boa
Pra outros ela é bem má...
É que alguns são “filhos de...”
E os outros são “filhos da...”.

Esta flagrante injustiça
Fere os sentimentos meus...
Parece até que nem todos
São filhos do mesmo Deus.
                    
(Anchieta)

Um comentário:

sushicomfeijao disse...

Durante anos de blog não tive a oportunidade de compartilhar contigo meus pensamentos mais "secretos" e hoje te encontro no blog da minha amiga Manu! Fico feliz que teremos uma nova edição do famoso "Rua do Bagaço", tenho certeza que muitos gostariam de ter a minha edição amarelinha! rsrsrsrs

Prof, adoro este aqui:

"...De repente...SER!
A vida SER!
Consciência do ser!
Sentir ser no ser!
Navegar no ser!
Nas ilusões do ser!
Nos mistérios de SER!

Mas..
Depois de ser,
O ser há de ser,
Ou não há de ser
Um eterno ser?

Ser ou não ser?

Não sei se o ser
Vale a pena ser,
Que a dor de ser,
Faz parecer
Melhor não ser!"...
[SER - José de Anchieta Batista, 1990]

Abraços,

Angela Moreira