segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Na escola da vida

Neste meu mundo de amarguras cheio,
a dor impera e nada me consola...
- Se fizeste da vida a grande escola,
me diz, ó Deus: - Cadê o meu recreio?

Perdoa o fraquejar! Eu não me rendo!
Bem maior faz-se a alma no sofrer...
e assim te agradeço, amado Ser,
por todas as lições que em vida aprendo.

Deste mundo, meu Pai, quando eu me for,
terei de certo a paz de que preciso...
e então hei de entender que meu sorriso
foi construído por detrás da dor!

(Anchieta)

Um comentário:

Isaac Melo disse...

Anchieta,
sua poesia não mascara o homem, o expressa como é, em suas dores, esperanças.

Abraços, caro Poeta!